PythonBrasil

segunda-feira, dezembro 17, 2007

Educação é responsabilidade de todos.
Contradições de estudantes com relação a educação.

A educação é sabidamente uma necessidade do mundo moderno. Para ter sucesso na carreira profissional, para transitar bem nas diversas situações cotidianas, ter uma boa educação é um requisito importante.
Sabendo disto, é grande a quantidade de estudantes que ingressam no ensino superior buscando por esta melhor condição.
Entretanto, grande parte destes estudantes querem apenas o símbolo (diploma) do ensino superior ao invés do conteúdo e formação que ele representa.
Esta contradição se manifesta no dia-a-dia da sala de aula de diversas maneiras:

  • Alguns estudantes querem que o professor enrole na aula, que dê provas com consulta, com questões de múltiplas escolhas (alternativas) nas quais a resposta ou é óbvia ou pode ser deduzida sem esforço nenhum.
  • Alguns estudantes querem que o professor não exija nenhuma dedicação extra-classe, entendendo que tudo o que ele poderia precisar para passar o professor deveria ministrar em sala. Não admitem terem que estudar para aprender um tópico da aula.
  • Outros estudantes, com problemas gravíssimos da formação básica, exigem que o professor passe apenas conteúdo que eles possam aprender com sua precária formação. Não admitem que precisem estudar por conta própria para suprirem sua deficiência.
  • Outros ainda pensam que a Instituição de Ensino Superior é uma empresa que vende diplomas e que ele, cliente, por estar pagando em dia suas prestações, deve obter ao final do prazo estipulado, o referido diploma.
Estas e muitas outras são as visões que se encontram nas salas de aulas das Instituições de Ensino Superior do Brasil.
E o que elas provocam? Provocam a queda da qualidade de ensino, a queda na importância prática da educação como provedora de conhecimento e não apenas de diplomas.
Um aluno que entra na sala de aula com uma destas posturas não contribuirá em nada para o seu aprendizado e nem para o de seus colegas, já que sua postura influenciará outros.
Por melhores que sejam os professores e os recursos educacionais e didáticos que a instituição possua, serão em vão para tal aluno; o laboratório será visto apenas como lugar para acessar a Internet de graça; a biblioteca um lugar que tem umas revistas legais de informática, etc.
Uma postura correta do aluno, com interesse pelo ensino, dedicação extra-classe, leituras de textos complementares e realização dos exercícios e projetos propostos, produzirá um aprendizado efetivo, com ganho de conhecimento e novas experiências para este aluno.
O conhecimento adquirido, solidificado por suas aplicações a novas situações, propostas em aula ou experimentadas no dia-a-dia, resulta em melhores habilidades em diversas situações de vida.
A capacidade de aprendizado, exercitada durante os anos da "facu" se torna um dos mais importantes trunfos do profissional ao longo de toda a sua vida. Para se adaptar às novas tecnologias, para decidir entre uma e outra ou várias opções, ser capaz de aprender e aprender rápido faz toda a diferença. E esta capacidade se aprende na escola.
Quanto mais aprendemos, mais aprendemos a aprender, mais rápido, com mais eficiência e eficácia.
E é isso que as empresas buscam, não um diploma, que indica apenas que o portador tem ensino de terceiro grau.
Estas habilidades e conhecimento, mesmo sem diploma, podem levar alguém mais longe do que um diploma cujo dono não tem o conhecimento que ele representa.
E pior, este conhecimento será cobrado, ou por um chefe, que sabendo que sem empregado tem um diploma de curso superior, cobrar-lhe-á o respectivo conhecimento; ou por uma situação da vida, cuja solução poderia ser facilmente encontrada caso as aulas da "facu" não fossem encaradas como momentos de encontrar os amigos e discutir novidades da Internet, YouTube!, etc.
Qual é a sua escolha? Um diploma ou conhecimento que ele representa?
Postar um comentário